Imagem capa - Nunca estivemos tão sós e ao mesmo tempo tão unidos. Em tempos de crise, nunca fomos tão unidade mesmo estando separados. por Charline Caldas Photography
Viver faz sentir

Nunca estivemos tão sós e ao mesmo tempo tão unidos. Em tempos de crise, nunca fomos tão unidade mesmo estando separados.

Sem beijos, abraços, carinhos e aconchego, caminhamos por dias cinzas em que o único gesto de amor é um olá abafado por uma máscara ou entre portas e janelas fechadas. Sem os encontros para os cafés cheios de bolo, prosa e risada, sem os almoços em família (dos quais até fugimos muitas vezes), sem os beijos molhados e abraços desconcertados de avós, sem as brincadeiras sem graça que tanto tirávamos sarro dos tios e tias. Nada de conversa jogada fora, desabafos e amassos em bares, festas e calçadas. Sem reencontros e encontros ao acaso nos passeios ou viagens aos finais de semana.

O ser humano nunca esteve tão só e isolado, sem poder estar com o outro nos afagos, brincadeiras e sorrisos que tanto fizemos sem nunca dar conta de quão preciosos eram. Mas também, nunca se deu tanto valor aos abraços e beijos que antes muitas vezes esquecidos, hoje são a maior saudade dos dias atuais. Mas como todos já ouvimos uma vez na vida, é na adversidade que se cresce e se ganha força e eu tenho visto muita força, bondade, empatia e amor ao próximo nesses últimos tempos como eu já não via há muito. O ser humano precisou voltar-se para dentro de sí para conseguir olhar para o outro com compaixão e bondade, e assim enxergar que não somos e não seremos nada sozinhos, que no fim de tudo se não tivermos uns aos outros não venceremos nenhuma batalha.

Mesmo diante do medo muitos saem ás ruas e mercados por vizinhos e amigos que são mais fragilizados, homens e mulheres todos os dias na linha de frente buscando a cura e cuidando daqueles que estão perecendo pela enfermidade, religiosos que se colocam a serviço mesmo diante dos riscos á que estão expostos, organizações que não cessaram seus trabalhos de ajuda aos necessitados mesmo com menos recursos. Mesmo havendo os que se aproveitam da situação para tentar “se dar bem”, os bons ainda são a maioria e temos que nos esforçar para que continue sendo assim. Nunca estivemos tão sós e ao mesmo tempo tão unidos. Em tempos de crise, nunca fomos tão unidade mesmo estando separados.

Seremos mais fortes quando tudo terminar, seremos mais unidos e saberemos dar o real valor ás pessoas e momentos importantes da nossa vida, mas primeiro temos que viver esse agora, precisamos ser cuidadosos e fortes para lidar com o medo, a ansiedade e a dúvida. Mas mesmo os dias mais tempestivos e chuvosos chegam ao fim, e esse momento também irá passar, as coisas irão melhorar e então poderemos ver o arco íris ao final de tudo.

Sempre que puder fazer o bem FAÇA, sempre que puder compartilhar um conteúdo que educa e edifica COMPARTILHE, sempre que tiver a oportunidade de falar sobre coisas boas e saudáveis FALE. Uma vez eu li a seguinte frase e ela ficou guardada no meu coração: O bem que você não fizer, também lhe será cobrado. Então que possamos ao final de nossa vida, saber que edificamos e tornamos a vida de muitas pessoas melhores, e que o legado que deixaremos será somente constituído pelo bem, pela empatia e amor ao próximo.

Seja luz e não se contente apenas em tê-la, a leve e espalhe-a por aí.